quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Mitos e verdades sobre lentes de contato



Falar de lentes de contato pode se tornar um assunto polêmico às vezes. Isso porque ainda hoje há entre as pessoas algumas dúvidas recorrentes quanto ao uso delas, o tempo de uso, se são todas iguais, se podem ser associadas à maquiagens, etc.  A Dra. Wania Freire, gerente médica da Johnson & Johnson Vision Care, desvendou alguns  mitos e verdades sobre as lentes de contatos.

Mito 1: “Não posso usar maquiagem enquanto estou usando minhas lentes de contato”
Sim, você pode usar maquiagem. O importante é saber COMO:
I.              Deve-se, primeiro, lavar e higienizar bem as mãos antes de manusear as lentes de conato.
II.            As lentes de contato devem ser colocadas antes de usar qualquer tipo de maquiagem ou creme nas mãos e no rosto.
Somente inicie o processo da maquiagem com as lentes de contato colocadas, bem posicionadas e confortáveis.
III.           No final do dia, você deve remover as lentes de contato antes de limpar a maquiagem.
IV.          Dê preferência a maquiagem que não seja à prova d’água.
Produtos muito resistentes à remoção podem aderir à superfície das lentes de contato e danificá-las.

Mito 2: “Todas as lentes de contato são iguais”
Isso não é verdade. Existem lentes de contato rígidas ou gelatinosas. Dentro da categoria das lentes de contato gelatinosas, temos diferentes materiais, esquemas de troca e modalidades de uso. Cada pessoa tem uma necessidade de correção visual e um estilo de vida diferente, por isso, é importante consultar o oftalmologista para que ele adapte e recomende as lentes de contato mais adequadas para cada paciente.

Mito 3: “Não posso usar lentes de contato porque tenho astigmatismo”
Esta afirmação não está correta. Atualmente as lentes de contato podem corrigir miopia, hipermetropia, astigmatismo e a presbiopia (“vista cansada”). Para quem sofre de astigmatismo, ACUVUE tem uma tecnologia de estabilização que permite que as lentes se mantenham estáveis e fiquem no lugar. 

Mito 4: “As lentes de contato não me proporcionarão tanta qualidade visual quanto os meus óculos”
Normalmente acontece o contrário. As lentes de contato não comprometem o campo de visão periférico, proporcionam boa visão em todas as posições do olhar, não embaçam e não se deslocam facilmente durante atividades físicas, pois são colocadas diretamente sobre os olhos.

Mito 5: “Existe uma idade mínima para começar a usar lentes de contato”
As lentes de contato podem ser usadas em qualquer idade. Cabe ao oftalmologista indicá-las e juntamente com o responsável pelo paciente, definir o melhor momento para o início do uso.

Mito 6: “Lentes de contato são muito caras”
O custo das lentes de contato pode ser menor do que se imagina. É possível escolher a lente mais adequada à necessidade de correção visual, ao estilo de vida e à situação financeira do usuário. As lentes de contato de descarte diário, por exemplo, quando usadas em alternância com óculos, tornam-se uma alternativa mais econômica, pois cada caixa contém 30 lentes de contato embaladas individualmente e nos dias em que o usuário prefere usar apenas os óculos não há descarte.

Mito 7: “Quanto maior a quantidade de água de uma lente de contato, maior a passagem de oxigênio por esta lente.
Este é um mal-entendido muito comum. Esta afirmação é válida apenas para as lentes gelatinosas tradicionais (hidrogel).
A nova geração de lentes de contato gelatinosas de silicone hidrogel apresenta um conteúdo de água menor do que as lentes gelatinosas tradicionais (hidrogel), entretanto permite a passagem de muito mais oxigênio (cerca de 98%) devido as propriedades do silicone.

Mito 8: “As lentes de contato estacionam a miopia”
            Esta afirmação não é correta. A miopia caracteriza-se por alterações estruturais do globo. O grau de miopia aumenta  principalmente em decorrência do crescimento do olho e alterações do cristalino (catarata).
            O uso de lentes de contato não está relacionado ao aparecimento ou progressão destas alterações

Mito 9: “As lentes de contato são desconfortáveis”
            Atualmente as lentes de contato trazem propriedades específicas que permitem um maior conforto durante o uso.
A inovação em materiais e tecnologias pemitem por exemplo, a passagem de uma maior quantidade de oxigênio através das lentes de contato e um menor atrito com as pálpebras durante o piscar, proprocionando um maior conforto ao usuário.

Mito 10: “A melhor maneira de higienizar as lentes de contato é com soro fisiológico”
Não, não e não. Existem soluções específicas, contendo substâncias capazes de conservar a lente de contato, remover os depósitos e impurezas da sua superfície, além de agentes bactericidas e antimicrobianos que complementam o processo de limpeza.
O uso do soro fisiológico aumenta o risco de contaminação das lentes de contato pois além de não conter as substâncias descritas acima, pode tornar-se uma solução contaminada após a abertura do frasco.
Consulte seu oftalmologista e converse a respeito

Mito 11: “As lentes de contato podem se perder por trás dos seus olhos”
Não, isto não é possível. A membrana transparente que recobre a parte branca do olho denominada conjuntiva recobre também a parte interna das pálpebras (superior e inferior) formando uma dobra, como um fundo de saco na região mediana dos olhos, impedindo o deslocamento da lente de contato além desta região.

Mito 12: “As infecções nos olhos são comuns em usuários de lentes de contato”

            As infecções oculares em usuários de lentes de contato são raras. A literatura médica mostra uma incidência de 0,13 a 0,3%1,2
É fundamental que os pacientes sigam as orientações do médico oftalmologista e respeitem o esquema de uso, higiene e manutenção das lentes de contato para evitar complicações.

Mito 13: “As lentes de contato podem ser usadas por tempo indeterminado”
O tempo de troca depende do tipo de lente de contato, do modelo, da marca e das condições individuais de cada olho. Em alguns casos, o oftalmologista poderá recomendar que o paciente troque a lente com maior frequência e em tempo ainda mais curto do que aquele recomendado pelo fabricante. Deve-se sempre evitar usar as lentes por um período maior do que aquele recomendado.
Como regra geral, o prazo de troca recomendado pelo laboratório representa o período entre o dia em que o usuário abriu a embalagem individual estéril da lente de contato (blister) e o dia em que ele deve descartá-la, e não o número de dias de uso.


Mito 14: “Usar lentes de contato por muitas horas faz mal aos olhos”
Os diferentes tipos de lentes de contato e alguns fatores, como a qualidade da lágrima, o ambiente de trabalho e o uso de medicações permitem um maior ou menor tempo de uso. O oftalmologista poderá identificá-los e orientar o uso correto e o tipo mais adequado de lente em cada caso.

Mito 15: “Lentes de contato não podem ser usadas após cirurgia refrativa”
Isso não é verdade. Muitas vezes as lentes de contato gelatinosas são usadas imediatamente após a cirurgia para melhorar o conforto. Já com fins de correção da refração, pode-se iniciar o seu uso 1 a 2 meses após a cirurgia refrativa.

Mito 16: “Lentes de contato são muito difíceis de limpar”
As lentes de contato exigem responsabilidade no seu processo de limpeza e manutenção, visando a saúde ocular. Hoje existem soluções multiuso que facilitam esses processos.
Antes de retirar as lentes de contato, deve-se lavar bem as mãos, com água corrente e sabão, enxaguá-las e secá-las com uma toalha limpa. Em seguida usando a solução multiuso indicada pelo seu oftalmologista, deve-se friccionar individualmente as lentes na palma da mão e guardá-las em um estojo apropriado contendo a solução multiuso.
Não se deve manipular as lentes de contato com as mãos úmidas ou armazená-las em soro fisiológico ou água, mesmo que potável, pois bactérias e outros microorganismos presentes nestas soluções podem contaminar o estojo e as lentes de contato provocando desde irritação a infecções oculares.

Mito 17: “Não se deve usar lentes de contato para a prática de esportes”
Na literatura médica, as lentes de contato gelatinosas são consideradas a primeira opção para as pessoas que praticam esportes.
As lentes de contato trazem vários benefícios para os usuários como liberdade de movimento, não se deslocam durante o exercício, não embaçam, não há risco de quebra durante choques que são naturais em esportes de contato e proporcionam um melhor campo de visão periférica em relação aos óculos.
Nas modalidades aquáticas, pode ser mais adequado o uso de lentes de contato de uso único devido ao risco de contaminação no contato com a água. Neste caso, as lentes devem ser descartadas imediatamente após o término da atividade.

Verdade 1: “Gravidez pode causar desconforto no uso de lentes de contato”
A lágrima tem um papel importante no conforto do usuário de lentes de contato.
Durante a gravidez observam-se modificações na composição da lágrima, havendo um aumento na produção de gordura e diminuição na quantidade de água. Este desequilíbrio pode repercutir no conforto ocular desencadeando sintomas como sensação de olho seco, menor tolerância ao uso das lentes de contato e embaçamento visual.

Verdade 2: “Quem usa lente de contato deve ter um par de óculos reserva”
Lentes de contato e óculos são dispositivos complementares.
Em alguns momentos do dia poderá haver necessidade do uso de óculos, além de algumas situações como, por exemplo, em vigência de uma conjuntivite viral em que o uso de lentes de contato não é permitido.
Essa preocupação deve ser maior para usuários com um grau mais forte e que são totalmente dependentes da correção visual para realizar suas atividades diárias.

Verdade 3: “Existe diferença entre lentes rígidas e gelatinosas”
Sim. As lentes de contato rígidas são feitas de um material duro que não se molda a superfície do olho, mantendo o seu formato. São pequenas e se movimentam mais ao piscar. As lentes de contato gelatinosas cobrem toda a superfície da córnea (porção transparente do globo ocular) praticamente acompanhando seu formato. Elas se movimentam menos de modo que seu material deve ser mais permeável para permitir a oxigenação da córnea. De um modo geral, são mais confortáveis.

Verdade 4: “Existem circunstâncias em que o uso da lente de contato não é recomendado”
Apesar de infrequentes, existem situações em que não está indicado o uso de lentes de contato. Por isso torna-se fundamental a indicação e adaptação das lentes de contato pelo oftalmologista. Neste procedimento o médico identificará estas exceções preservando a saúde ocular do paciente.

Verdade 5: “Não se deve nadar com qualquer tipo de lente”
A água do mar, rios e principalmente piscinas pode estar contaminada com grande número de bactérias, vírus, fungos e outros microorganismos que podem aderir as lentes de contato provocando contaminação das lentes e consequentemente dos olhos, mesmo com os processos rotineiros de limpeza. O ideal nestes casos seria o descarte das lentes após o contato com meios aquáticos.
O uso de lentes de contato de uso único, descarte diário pode ser mais adequado nestas situações.

Verdade 6: “Existem lentes de grau coloridas”
Sim, existem algumas opções de lentes de contato coloridas que corrigem um número limitado de graus.
Assim como qualquer outra lente de contato, as coloridas devem ser adaptadas e indicadas pelo oftalmologista.

Verdade 7:“Dormir com lentes de contato pode prejudicar os olhos”
Atualmente as lentes de contato são desenvolvidas com alta tecnologia em materiais e formatos (menor espessura) e isto permite uma maior passagem de oxigênio através da lente. Porém, quando os olhos estão fechados, essa oxigenação diminui e aumenta a temperatura da superfície ocular, o que poderia explicar um maior índice de infecções oculares em usuários que dormem com as lentes. Portanto, não é aconselhável dormir com as lentes de contato. Quando necessário, peça orientação ao seu oftalmologista.

Seja o primeiro a comentar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Links legais:

AMÉLIAS DE SALTO © 2008. Template by Dicas Blogger.

TOPO